As 10 cidades portuguesas mais hospitaleiras

Quais são as 10 cidades portuguesas que melhor recebem os turistas, as mais hospitaleiras?
Depois de uma análise às avaliações dos clientes e seleccionadas as cidades que, no último ano, registaram mais de 3500 visitas, averiguou-se quais receberam melhores classificações de acordo com alguns aspectos turísticos: “ambiental, urbano, praia e histórico-cultural”.
As cidades das regiões autónomas, Açores e Madeira, são as preferidas dos viajantes. Já no continente as cidades de Lisboa, Porto e Algarve são as regiões que recebem as melhores classificações.

10. Albufeira
Actualmente, Albufeira e o seu concelho assumem-se como um dos principais centros turísticos do país, oferecendo cerca de 30 km de costa e mais de duas dezenas de praias muito diversificadas entre si, tanto no que toca ao enquadramento natural, como em termos de ocupação e oferta turística.
Embora os equipamentos turísticos, bem como a animação nocturna, sejam dos mais afamados do Algarve, convivem ainda par a par com uma outra realidade: a das aldeias tranquilas, onde subsistem artes manuais como a azulejaria, o cobre talhado ou a tapeçaria de esparto, envolvidas por pomares de sequeiro com amendoeiras em flor e laranjais coloridos.

10. Albufeira
Albufeira

9. Lisboa
Sobre a margem direita do amplo estuário do rio Tejo, a capital de Portugal assente sobre encantadoras colinas, desfruta de uma situação geográfica ímpar, a que deve o seu destino de cidade cosmopolita. A sua luz excepcional, encantamento de escritores, fotógrafos e cineastas, o casario claro que trepa sobre as colinas, onde sobressai a cor ocre dos telhados, a policromia dos azulejos das fachadas e as ruelas tortuosas dos bairros antigos dão-lhe a atmosfera peculiar de cidade de transição entre o Norte europeu e o sul mediterrânico.
Local de eleição para as trocas comerciais com antigos povos mercadores e navegadores, a longa história de Lisboa começa na Alis-Ubbo fenícia, para se transformar, no séc. II, na romana Felicita Julia Olisipo, na Aschbouna árabe a partir do séc. VIII, em cidade portuguesa no ano de 1147, quando foi conquistada por D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, e finalmente na capital do país, em 1255. A pé pelos bairros típicos, de eléctrico pelas zonas antigas, subindo ou descendo as colinas em elevadores seculares, de barco num passeio pelo Tejo, ou mesmo de metropolitano, verdadeiro museu subterrâneo de arte contemporânea portuguesa, todos os meios são bons para descobrir a diversidade cultural de grande interesse que Lisboa oferece.

9. Lisboa
Torre de Belém

8. Portimão
Portimão conta na sua origem, com uma história marcadamente de gentes de mar e importantes portos de pesca. Hoje em dia e à semelhança do que acontece por todo o sul de Portugal, já não será apenas o mar a maior força económica desta cidade, mas também o turismo. Uma cidade com excelente oferta de alojamento, restauração e animação, que se torna numa das mais procuradas pelas suas praias.
A escolha da melhor praia para destino de banhos torna-se muitas vezes complicada, não só pela óptima qualidade das mesmas, mas também pelas actividades características de cada uma. Existem praias mais adequadas à pratica de desportos náuticos, outras para mergulho, outras para pesca de peixe de grande porte e outras simplesmente para descansar… Portimão é ainda um dos melhores destinos para se apreciar e degustar o melhor marisco e o melhor peixe.

8. Portimão
Portimão

7. Cascais
Situada junto ao mar e tradicionalmente uma aldeia piscatória, Cascais teve um importante desenvolvimento no séc. XIV, quando era porto de escala de grande movimento para os navios que se dirigiam a Lisboa. Foi no entanto a partir da 2ª metade do séc. XIX, altura em que os banhos de mar começaram a ser apreciados, que Cascais sofreu um impulso que a transformou numa estância de veraneio muito em moda. O principal impulsionador da transformação foi o Rei de Portugal D. Luís I, que em 1870 converteu a fortaleza da cidadela na residência de verão da monarquia portuguesa.
Este exemplo foi seguido pela nobreza que aqui construiu palacetes e belíssimas vivendas onde passavam a época mais quente do ano, transformando por completo a antiga vila de pescadores. Cascais passou a atrair também os passeios dos curiosos, cujo acesso ficou mais facilitado pela inauguração da linha de Caminho de Ferro entre Pedrouços e Cascais em 1889. Hoje em dia, Cascais é uma localidade muito animada e cosmopolita, que conserva ainda o seu ar aristocrático.

7. Cascais
Cascais

6. Porto
Capital e porta de entrada da região norte, o Porto é uma cidade antiga que deu nome a Portugal e a um vinho conhecido nos quatro cantos do mundo: o Vinho do Porto. Com uma situação magnífica junto da foz do Douro e um conjunto arquitectónico de valor excepcional, o centro histórico do Porto é Património da Humanidade desde 1996.
Para além do seu valor patrimonial, interessa descobrir no Porto a sua forte personalidade citadina e o seu tão singular carácter humano. Para melhor conhecer a cidade é aconselhável percorrê-la devagar e admirar o casario típico e os monumentos de granito, efectuar um percurso de eléctrico à beira do Rio ou um passeio de barco por baixo das seis pontes, desfrutando de uma perspectiva diferente.

6. Porto
Porto

5. Vila Nova de Gaia
Cidade importante na região norte de Portugal, sede de município, Vila Nova de Gaia situa-se frente à grande cidade do Porto, separadas pelo Rio Douro, mas unidas por diversas e históricas pontes que facilitam o acesso, a partilha de património, estilos de vida e complementaridade. A localização na margem do rio Douro possibilitou a fixação de populações desde remotos períodos, pensando-se que as origens da cidade remontem possivelmente a um Castro celta, tendo sido também ocupada por Romanos (apelidada na altura de “Cale”) e pelos Mouros, embora não por muito tempo.
O grande desenvolvimento da cidade de Vila Nova de Gaia dá-se no século XVIII, com a instalação dos famosos Armazéns do Vinho do Porto que já na época era uma muito importante indústria no norte do País. Hoje, Vila Nova de Gaia é o principal centro de produção do vinho do Porto, com o centro da cidade dominado pelos armazéns das marcas mais famosas, com mais de 50 companhias, alojados em edifícios de característicos telhados vermelhos. Uma visita a uma das muitas Caves aqui existentes é imprescindível para melhor conhecer e apreciar este prestigiado vinho, único no mundo.

5. Vila Nova de Gaia
Mosteiro da Serra do Pilar

4. Lagos
Em Lagos tudo parece convidar à praia e aos prazeres simples. Mas também há uma história de navegadores e piratas, resultado de uma cumplicidade com o mar que persiste nas traineiras coloridas que trazem o peixe para a lota, ou na Marina onde balouçam iates de todo o Mundo.
Esta ligação ao mar teve o seu ponto mais alto nos séculos XV e XVI, pois foi em Lagos que o Infante D. Henrique armou as caravelas que alcançaram a costa de África, dando início à epopeia dos Descobrimentos portugueses, e de onde partiu Gil Eanes, o navegador que demonstrou que o Mundo não acabava no Cabo Bojador e que o mar não era povoado por monstros. O seu nome foi dado à praça onde uma estátua polémica de João Cutileiro evoca o rei D. Sebastião, que fez de Lagos capital do Algarve, privilégio conservado até 1755.

4. Lagos
Lagos

3º Sintra
Sintra é anualmente visitada por muitos turistas atraídos pelas belezas naturais, pelos monumentos e pela história da vila e, ao mesmo tempo, para aproveitarem as diferentes praias das redondezas. Envolta numa neblina característica, é na Serra de Sintra que podemos encontrar o Castelo dos Mouros, construído durante o período de dominação árabe, o Palácio da Pena, o Convento dos Capuchos, o Palácio Nacional de Sintra e o Palácio e Jardins exóticos de Monserrate. Nos seus três Palácios Nacionais – Vila, Pena e Queluz – e na série de Museus Municipais, admira-se um importante espólio histórico- artístico.
Desde tempos remotos, que a atmosfera poética e romântica de Sintra atrai numerosos artistas humanistas. O seu prestígio ficou registado nas quintas de recreio em redor da Vila e nos ideais românticos que se traduzem na remodelação ou construção de quintas e palacetes. Na segunda metade do século XIX, Sintra adquiriu um estatuto de vila burguesa essencialmente consagrada ao prazer e ao ócio, constituindo-se então vários hotéis e pensões imortalizados através da pena de afamados escritores da época.

3. Sintra
Palácio Nacional de Sintra

2º Funchal
Capital da Região Autónoma da Madeira e situada na costa sul da ilha, numa bela baía com o mesmo nome, o Funchal teve o seu primeiro foral em meados do século XV, tendo o seu nome origem no funcho, erva aromática muito comum nesta região. Primeiro com o comércio de cana do açúcar e da banana e depois com o Vinho da Madeira, o Funchal tornou-se num importante porto comercial e ponto obrigatório de paragem nas viagens da expansão marítima. Também devido ao seu clima ameno todo o ano, desde cedo se tornou num dos destinos preferidos da elite europeia.
Plena de história, cosmopolita, e com uma fantástica vida própria, o Funchal nos dias de hoje tem muito para ver e admirar, começando pelos núcleos históricos das suas freguesias, como os de São Pedro, de Santa Maria ou da Sé, que convidam a agradáveis passeios. O Funchal apresenta também uma forte componente cultural, abrangendo espaços museológicos e culturais de igual interesse. A não perder o Mercado dos Lavradores, onde os sabores e aromas das frutas e flores se misturam com a agitação habitual de um mercado.

2. Funchal
Funchal

1º Ponta Delgada
A cidade de Ponta Delgada é dona de uma rica história e de um encantador património construído, rodeado pela esplêndida natureza da Ilha de São Miguel, que delicia quem a contempla a todo o momento. Outrora, a cidade mais importante da Ilha seria Vila Franca do Campo, contudo em 1522 um grande terramoto causou a maior destruição na localidade, passando então Ponta Delgada, uma povoação composta por várias comunidades piscatórias, a herdar a sua importância.
Foi no século XIX que Ponta Delgada granjeou o maior sucesso e prosperidade, tornando-se mesmo numa das principais e mais ricas cidades do País, sobretudo devido à forte exportação de citrinos, à industria piscatória e à fixação de muitos comerciantes estrangeiros. Esta herança é hoje visível no aspecto colonial e Romântico da cidade, tão típico deste período, concedendo-lhe uma ambiente encantador.

1. Ponta Delgada
Ponta Delgada

Podem acompanhar tudo aqui:
https://filipemiguel.blog

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s