Saudades? Quem as não tem?

Hoje vieram bater à minha porta. Seria a saudade ou seria a felicidade? Deixei que batessem mais uma vez, fui abrir a porta e era a saudade que veio ter comigo. Veio até ao meu encontro. Quis ela vir fazer-me uma visita, fazer-me companhia e conversar comigo.
Saudade companheira. Saudade solitária. Saudade que me aperta e não me larga. Saudade que quase me estrangula. Esta saudade é cruel. Esta saudade fere, arde, dói e destrói quase toda a felicidade. Cria um enorme vazio cá dentro, cola e não desapega.
Maldita saudade que não vai embora!
Esta saudade mestra. Esta saudade de ti. Esta saudade de mim. Esta saudade de nós. Esta saudade que nos invade na esperança de novos bons tempos e de novas alegrias. A saudade invade o nosso peito, quando o nosso ser sente a vontade e o desejo voltar a sentir e viver uma nova época especial. As saudades são caminhos que percorremos. As saudades são alegrias passadas. As saudades invadem-nos para nos falarem do bom tempo que não temos.
Saudades… podem entrar!

Hoje tenho saudades de ti, tenho saudades de mim, porque sem ti eu me perdi.
A saudade aperta a cada instante, umas vezes dói tanto, outras faz chorar e acabamos por exteriorizar de tanta dor… Saudade de momentos de sermos com o que sonhamos, de ver a vida colorida, de sorrir… enfim muitas e tantas, tantas saudades da pessoa amada. A maioria das vezes a saudade torna-se ainda mais forte, quando temos plena consciência que podíamos ter feito mais e melhor por essas pessoas e por nós em conjunto, mas o tempo, o tempo, o tempo, que dizemos sempre ser pouco e vai passando e um dia ficamos com todo o tempo e sem aquelas pessoas que tanto amávamos e continuamos a amar…
Como lido com as saudades? Não lido. Não sei lidar com elas. Tento ignora-las, mas não consigo. Tento ocupar-me todo o tempo com alguma coisa, mas não chega, as saudades são demasiado fortes, demasiado grandes.
Por muito que nos custe, o tempo não volta para trás, a vida não é como queremos, mas como alguém quer, nestas coisas o único remédio é a resignação, sei que é difícil, mas temos de reagir. Mas é difícil.
Estou eu aqui e tu aí. As saudades aumentam, as saudades apertam, as saudades doem. Mas se temos saudades é muito bom, têm um grande significado, demonstra um grande sentimento. E as minhas saudades por ti, já são de uma enorme magnitude e com um peso avassalador.
Saudades todos temos e nem o tempo as pode apagar.
Saudades? Quem é que não tem? Quem é que não sente?

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s